Pessoas

Alberto Fernando
fernd@mail.telepac.999pt
Amante da Astronomia e Astronáutica desde há longa data, aprendi a conhecer o céu nas viagens nocturnas de longo curso como piloto de linha aérea. Mas foi na Atalaia que comecei a observar com telescópio. Privilegio a observação visual. Observo com um binóculo 16×70 e com um Obsession de 15″, f 4.5, equipado com GOTO e seguimento. Quanto a oculares, tenho Nagler Zoom 3/6 mm, Nagler 31 mm, Panoptic 22 mm, Ethos 6mm, Ethos 13mm, Powermates 2.0, 2.5 e 4.0.
Alcino Pacheco
alcino.pacheco@atalaia999.org
Observador inexperiente do céu desde muito cedo, resolvi investir um pouco mais há cerca de três anos e meio, tendo passado a observar regularmente desde que descobri este grupo fabuloso de gente muito interessada e interessante, com um binóculo (12×50), um refractor apocromático (80mm f6) e um catadióptrico (127mm f10). O meu interesse recai sobretudo sobre o céu profundo, sendo por vezes atraído pela Lua, Saturno, mais raramente por Júpiter, e sempre que acontecem, por todos os eventos observáveis no nosso sistema, incluindo eclipses, trânsitos, ocultações, conjunções, bem como todos os cometas e asteróides observáveis.
Alfonso Portela
Amante da Astronomia e da natureza em geral, tenho encontrado na Atalaia um verdadeiro e genuino grupo de amadores apassionados por todo o relacionado com esta actividad. Para mim observar o céu produce-me dois estados muito diferentes, por um lado acalma e enche o meu espirito, mas por outro genera me ansiedade por dispor de melhor material e maior entendimento sobre o firmamento. Com o grupo que aquí encontrei, estos dois estados posso satisface-los a vontade, pois é muito dificil encontrar gente com tantos conhecimentos teorico-práticos e com tão bom e variadisimo material, e (aqui é que está a diferencia), com auténtica vontade de compartirlo com todo aquel, que na disposição adequada o solicite. MATERIAL de que disponho para observar: OBSERVATORIO: 4m x 3m de Tecto de correr automatizado. BINÓCULOS: TAKAHASHI: 1 de 22×60. SWAROVSKI SLC (2): 1 de 8×30 e 1 de 8×50. TELESCOPIOS: Na actualidade tenho 9 telescopios; REFRACTORES: SOLAR: SOLARSCOPE: 1 Slolarview DE 50mm. APOCROMÁTICOS (5): TAKAHASHI: 1 FS 60/355, f/5.9. VIXEN: 1 fluorite 70/560, f/8. TEC (TRIPLETES): 1 TEC de 5.1″ 140/980, f/7. TMB (TRIPLETES) (2): 1 de (4″) 100/800, f/8 com o focador Feather Touch de 2″ e 1 de (7″) 175/1400, f/8 com tubo de fibra de carbono e focador Feather Touch de 3,5″. ACROMÁTICOS: VIXEN: 1 102/1300 com o focador de 2″ do Megrez. CATADIÓPTRICOS: TAKAHASHI: 1 Mewlon de 10″ f/12. DOBSONIANOS: OBSSESION: 1 de 15″ f/4,5 com GOTO (ArgoNavis + ServoCat). MONTAGENS: Disponho de 8 montagems: EQUATORIAIS ALEMÁS (5): PARAMOUNT: 1 Paramount ME. LOSMANDY: 1 G11 + Gémini. VIXEN (2): 1 New-Atlux + Sky-Sensor 2000-PC, 1 GP/DX também com um outro SkySensor 2000-PC. SINTA: 1 EQ-3 com motor em AR. ALTAZIMUTAIS (3): TELE OPTIC: 1 Giro 2 DX. MIZAR: 1 BP60. BAADER PL.: 1 Witty. PEDESTAIS, TRIPÉS e MONOPÉS: PEDESTAIS: PIER-TECH: 2 Pier-Tech 2 + 1 Pier Caddy. TRIPÉS: Aluminio: LOSMANDY: tripé para a G11, VIXEN: tripé em duralumin DP95 para a Atlux. MANFROTTO: 1 074 tripé fotográfico, 1 276B monopé. Madeira: 1 tripé AHT da BAADER PL., 1 tripé BERLEBACH Uni 18. TORRETA PORTAOCULARES: 1 TEC de espelho para 5 oculares de 1,25″. OCULARES, as oculares são variadas: CLAVÉ (7): Um Jogo intacto, de 7 oculares Clavé-París de 2″ e serie “Pic du Midi” de Jean Texerau (os 4 de maior focal, na sua caixa original), e com as seguintes focais: 75mm, 65mm, 55mm, 45mm, 40mm, 35mm e 30mm. TELE VUE: Naglers, 82º(5): 1 de 31mm type 5 e 2″, 1 de 22mm type 4 e 2″, 1 de 17mm type 4 e 2″, 1 de 12mm type 4 de 2″ e 1,25″, 1 de 2,5mm type 6 de 1,25″ e 2 Nagler Zoom: 1 Zoom 6-3mm e uma Zoom 4-2mm, ambas de 50º e 1,25″. Panoptic, 68º: 1 de 27mm e 2″. VIXEN (3): 1 Or. de 40mm e 2″, 1 LVW de 22mm e 65º de 2″ e 1,25″, 1 AV de 4mm e 1,25″ 100% lanthanum. TAKAHASHI LE 55º e 1,25″ (3): 1 de 12,5mm, 1 de 7,5mm e 1 de 5mm. SWAROVSKI (2): 1 de 15,4mm de 65º e 1,25″ e 1 Zoom de 7,7-23,1mm de 1,25″. TMB Monocentrics, 30º e 1,25″ (3): 1 de 10mm, 1 de 8mm e 1 de 6mm , ZEISS: 1 Or. de 16mm e 0,24″. BAADER PL.: 1 Eudiascopic de 35mm de 50º e 1,25″. MEADE (2): 1 UWA de 8.8mm de 2″ e 1,25″ e 86º, 1 ocular com retículo iluminado de 12mm. CORONADO Cemax: 1 de 18mm e 1,25″. DIAGONAIS e PRISMAS: TELE VUE (5): 4 Everbrite (tres de 2″ e uma de 1,25″), 1 Prisma Erector de 45º e 1,25″. WILLIAM OPTICS: 1 diagonal dieléctrica de 2″. MOON (2): (chinessas de espejo) 2 de 2″. BARLOWS: TELE VUE (2): 2 Powermates 1 de 4x e 2″ e outra de 2.5x e 1,25″. SWAROVSKI: 1 lente de Galileo 2x para o binóculo SLC 8x50B. CÁMARAS, como cámaras CCD tenho uma MINTRÓN de tempo real a preto e branco. FILTROS e PRISMAS: SOLARES: CORONADO: 2 H-alfa de 60mm, com largura de banda<0,7 A (juntos tem uma larg. de banda de<0,5 A)+ BF10, com adaptadores frontais para TMB de 100mm e VIXEN FL de 70mm + BF5, e directo para TAKAHASHI FS 60mm + adaptador para BF5. KIT PRISMA de HERSCHEL BAADER PL.de 2″ + JOGO de 4 FILTROS POLARIZADORES. FILTROS THOUSAND OAKS (3): 1 de 5″, 1 de 3,5″ e 1 de 2,5″. CÉU POFUNDO: LUMICÓN (3): 1 UHC de 2″, OIII: 1 de 1,25″, e 1 H-Beta de 1,25. LUNA e PLANETAS: SIRIUS OPTICS: 1 MV de 2″. BAADER: 2 lunares, 1 de 2″ e de 1,25″. ORIÓN: 1 duplo filtro polarizador de 1,25″. CLAVÉ (8): Um set intacto, de 8 filtros de cores Clavé Paris, na sua caixa original. VIXEN (6): 1 caixa de 6 filtros de cores de 1,25. Disponho também de outro tipo de acessorios variados que tenho experimentado e que são para mim de muita utilidad. Peço disculpas por o méu muito mau portugués, e pelo extenso da descrição.
Ana Sousa
ana.r.sousa@netcabo999.pt
O gosto que sempre tive desde pequena pelo conhecimento do Universo aliou-se ao prazer da observação do céu nocturno. A descoberta de objectos de céu profundo bem como dos planetas nossos vizinhos revelou-se algo de extraordinário. Sempre que possível, lá estou para mais uma viagem pelo Céu!
Anselmo Dias
Carlos Santos
carlos.santos@atalaia999.org
Tenho a sorte de há alguns anos trabalhar em astronomia e já tive a oportunidade de utilizar alguns dos melhores telescópios do mundo, mas devo confessar que espreitar o céu com o Obsession do José Ribeiro é algo fabuloso. Comecei a aparecer pela Atalaia em finais de 2001 e não sou tão assíduo quanto gostaria. O meu material actualmente resume-se a uns binóculos 8×56.
Filipe Alves
filipe.alves@atalaia999.org
Num tempo distante fui exilado do meu planeta natal, algures na constelação de Lira, creio eu. Ultimamente, mais especificamente desde 2001 decidi voltar a encontrar o caminho para casa, por milagre encontrei este grupo de humanos que também se interessam por estes assuntos esquisitos e que me estão a ajudar a detectar planetas extra-solares naquela zona específica para me ajudar a descobrir os malandros que me deixaram neste planeta maluco! Obrigado Malta!! :)
Homepages:
Homepage 
Color moon!

 

Grom Matthies
grom.matthies@atalaia999.org
Sou observador do céu viciado desde pequeno mas apenas em 1974 tive os primeiros contactos com observatórios e telescópios. Desde então nunca mais largei a astronomia. Começei forte, seguindo com um instrumento potente (para aqueles tempos) a evolução hora a hora dos fenómenos observáveis em Júpiter e mais tarde acompanhei a rede de observação internacional aquando da chegada dos Voyagers. Simultaneamente comecei o registo da actividade solar, participando na rede de observação do então centro de recolha de dados em Zurique e na sua vertente alemã. Mais tarde dirigi a minha iniciativa para o rastreio de asteróides, participando no programa internacional (de origem checo) de actualização dos elementos orbitais e de recuperação de asteróides perdidos, trabalhando tanto no equipamento do observatório da minha cidade como esporadicamente noutros no recinto em Hamburgo e nalguns instrumentos de médio porte no Sul e no centro da Alemanha. Envolvi-me na construção de um observatório de média escala (2 andares, cupula de 5 m) e comecei com os primeiros passos de fotometria com válvulas fotomultiplicadores (construção caseira) de estrelas eruptivas. Após a minha imigração em Portugal em 1985 a falta de astrónomos contactáveis (e bem tentei) e a inexistência de estruturas de comunicação adequadas afastaram-me da astronomia do ponto de vista prático durante mais de 10 anos. Quando as saudades pelo céu esporadicamente invadiram todo o meu pensamento e o bem estar, começei projectar montagens de médio porte. Certa altura no meio da década 90 estas saudades não me queriam largar semanas a fio e, com sorte e empenho, consegui encontrar, principalmente através da internet (ainda em evolução), os primeiros amadores cá em Portugal. Em virtude da minha experiência vivida senti entretanto a profunda falta de estruturas de apoio concreto aos amadores, pontos de encontro e de comunicação e mesmo de conforto, bem como a falta de instrumentos acessíveis aos amadores menos afortunados. Por isso, quando o núcleo da organização a qual estive ligado desde sempre se desfez, transformamos o projecto desta num projecto português, o que fez nascer a União de Astronomia e Astrofísca. Sou o secretário geral da UAA e coordenador da sua primeira estrutura funcional, o grupo de trabalho SOL, o qual tem vindo a conseguir registos contínuos e resultados bastante interessantes e prometedoras. Com os primeiros membros da UAA e também aqui com os amigos do grupo da Atalaia re-encontrei o espírito de grupo e de calor humano no meio astronómico que tanto tempo tive de abdicar. Por isso, os tempos futuros só podem ser ainda mais ricas em experiências vividas. Para “olhar p’ra cima” uso um Maksutov-Cassegrain da Intes Micro 180/2700 mm guiando ainda um pequeno Skywatcher 102/500 (teleobjectiva e futuro telescópio solar da casa). Outros instrumentos, como um Newt de 200/1200 sem camada de reflexão para observação solar (destinado como doação ao projecto do observatório solar em Sintra), um refractor ETX 70/350 e um acromato 70/700 complementam a colecção principal. Os meus principais interesses são a observação e o rastreio da actividade solar, o seguimento de asteróides e a fotometria de estrelas variáveis. Porém, as “andanças” com este grupo da Atalaia acordou um certo gosto pelas vistas e fotografia do céu dito profundo. Por isso, o trabalho fotográfico (especialmente em película de grande formato) também assentou nos meus interesses e movimentos actuais.
Henrique Ferreira
Hugo Silva
João Gregório
.joao.gregorio@atalaia999.org
“Abaixo a iluminação publica” é a minha máxima preferida, entretanto vou para a Atalaia observar procurando o melhor céu que a periferia de Lisboa tem para oferecer.
Se te interessas por exoplanetas vai espreitar a minha página.
www.atalaia.org/gregorio
Jorge Canelhas
jorge.canelhas@atalaia999.org
Já há muito que gosto de astronomia mas só em 2002 me decidi a comprar um telescópio, felizmente na mesma altura também descobri este grupo espetacular de pessoas. Interesso me por tudo um pouco desde o Sol ao céu profundo. Página pessoal em http://www.astrosurf.com/jcanelhas

 

José Rola

 

Licinio Almeida
licinio.almeida@yahoo999.com
O estudo do Universo sempre me fascinou e com fases de maior ou menor dedicação tenho sempre tentado aprender mais qualquer coisa. Desde o final de 2004 que “descobri” este grupo fantástico e desde então tem sido com imenso prazer que tenho partilhado grandes momentos e noitadas de viagem pelo espaço sem fim, por vezes com muita imaginação. De momento tento dedicar-me à Ciência e para isso equipei-me para já com uma G11, um MakNewt de 8″ f/6 para visual, planetas e fotometria, um Apo de 80mmm e uma ST7 para captar os necessários fotões para além de outro material ligeiro de menor interesse. Sempre que posso, lá estou na Atalaia para mais uma sessão.

 

Luis Carreira

 

Luis Evangelista
lmre@sapo999.pt
Curioso por natureza, interessei-me mais a sério pela astronomia quando conheci este grupo em 2001. Desde então tenho vindo a observar com certa regularidade na sua companhia. Neste momento estou a refazer a lista de Messier, e a começar com os catalogos Caldwell e Herschel 400. Observo com um Telescópio Dobson 10″ f/5, um refractor de 80mm f/7.5 e um binoculo 10×50.